Blog do Sena – Vitória da Conquista- Bahia

Na Bahia, Bolsonaro e Silas Malafaia atacaram Rui Costa por ICMS de combustíveis, medidas de isolamento e compra de respiradores

Durante a cerimônia de assinatura do contrato de concessão da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), em Tanhaçu, na região de Vitória da Conquista, o presidente Jair Bolsonaro atacou o governador Rui Costa (PT) pelas medidas de isolamento social tomadas por conta da pandemia do coronavírus. Ele também disse que a alta no preço dos combustíveis é culpa do Imposto sobre Circulação de Mercadores e Serviços (ICMS) cobrado pelos estados.

Quem também fez críticas ao governador foi o pastor Silas Malafaia, apoiador do presidente que também participou da cerimônia que transferiu para a Bahia Mineração (Bamin) a responsabilidade por concluir e operar a ferrovia.

Coube ao ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, e representantes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e da Valec os discursos sobre a ferrovia. Ao presidente e pastor coube apenas a convocação para as manifestações marcadas para 7 de setembro e os ataques aos adversários.

O pastor falou primeiro, atacando o governador Rui Costa. “Só para lembrar a vocês, que o dinheiro que o Governo Federal mandou para estados e municípios dava para fazer 49 mil leitos de UTI de ponta e foi roubado o dinheiro na maior safadeza. O governador da Bahia nomeou um ladrão chamado Carlos Gabas, ‘me processa vagabundo’. Sabe o que este cara fez, comprou R$ 49 milhões e pagou a vista de respiradores de uma empresa de maconha, os respiradores nunca chegaram. Vocês já pensaram quantos baianos e nordestinos morreram por causa de um vagabundo canalha desse?.

Por fim, o religioso também atacou a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) aberta pelo Senado para investigar crimes e omissões praticadas pelo Governo Federal durante a pandemia. “A CPI da safadeza protege este vagabundo porque a casa cai de governador e de gente aqui do nordeste, e depois querem acusar o presidente de não fazer nada pela pandemia. Vamos parar com isso minha gente”, concluiu.

Fechando a cerimônia, o presidente Bolsonaro repetiu seu discurso que fala sobre Deus, família e patriotismo para confirmar que vai participar dos atos em favor de seu governo em 7 de setembro. Sobre gritos de “eu autorizo” dos que acompanhavam a cerimônia, Bolsonaro voltou a falar de “sair das quatro linhas” da constituição caso entenda que outros poderes estejam agindo foram da carta magna.

Em seguida, Bolsonaro voltou a atribuir às medidas de fechamento por conta da pandemia os problemas econômicos do país. “Muitos governadores, incluindo deste estado aqui, tomaram medidas que prejudicaram seu povo, que tirou emprego de vocês. Que fez com que muitos que viviam na informalidade praticamente entrassem em desespero. O auxílio emergencial não foi um favor nosso para muitos baianos e muitos brasileiros, foi uma necessidade. E o Brasil, o nosso governo, os atendeu nesse momento difícil. A consequência de medidas ditatoriais, como lockdoow, confinamento, toque de recolher ou o famoso ‘fique em casa’ trouxe as consequências. O mundo todo vive inflação de alimentos, alguns países já têm desabastecimento, aqui não tem”, disse.

Ele também aproveitou a oportunidade para culpar os governadores pela alta nos preços dos combustíveis. “Sabemos que os preços aumentaram, mas os combustíveis, deve-se o aumento ao ICMS do governador. O gás de cozinha, que vocês estão pagando bastante caro, eu zerei os impostos federais. O ICMS do governador faz ele ficar caro na ponta da linha”, comentou.

No entanto, o presidente omitiu o fato da alta está relacionada aos constantes reajustes promovidos pela Petrobras nas refinarias. A alta é de 51% desde janeiro. Em Jequié, onde está o principal centro de distribuição da Petrobras na Bahia, a gasolina sem mistura custava R$1,86 em janeiro e hoje custa R$ 2,81.

De acordo com a pesquisa de preços da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a gasolina está custando em média R$ 5,982 nos 4.518 postos pesquisados durante a semana.

Embora os estados reajustem a cada 15 dias o valor de referência para cobrança do ICMS, a alíquota em todos os estados e no Distrito Federal permanecem estáveis, equivalendo de 25% a 34% do preço de venda do produto.

Sobre as acusações feitas por Silas Malafaia relativa à compra dos respiradores da empresa Hampcare, o governo emitiu uma nota no mês passado para ressaltar que o o governador Rui Costa não é investigado pela Procuradoria Geral da República (PGR). A nota diz que foi o próprio Governo do Estado, por meio da Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA), que realizou uma operação policial que levou à prisão de suspeitos de envolvimento na venda de 300 respiradores, no valor aproximado de 48 milhões, ao Consórcio Nordeste


Curta e Compartilhe.

Deixe um Cometário


Leia Também