Blog do Sena – Vitória da Conquista- Bahia

“A gente tem que entender que preocupa. Agora, você não pode pagar sem ter dinheiro”, diz líder do governo sobre fechamento de 20 leitos clínicos de Covid-19 em Vitória da Conquista

Foto: Blog do Sena- Ricardo Babão (PCdoB) à esqueda e Chico Estrela (PTC) à direita

Em entrevista ao Blog do Sena, na sexta-feira (11), o vereador Chico Estrela (PTC), novo líder  do governo na Câmara Municipal de Vitória da Conquista (CMVC), defendeu a Prefeitura a respeito do fechamento de 20 leitos clínicos exclusivos para o tratamento da Covid-19 no Hospital São Vicente.

Chico Estrela fazia parte da bancada de oposição e foi um dos principais opositores ao governo Herzem Gusmão e, posteriormente à morte do gestor, à prefeita Sheila Lemos (DEM). De acordo com o edil, a mudança ocorreu após um pedido feito pela prefeita para a assumir a liderança de governo, até então ocupada pelo vereador Ivan Cordeiro (PTB).

O vereador chegou a contestar o possível fechamento dos 20 leitos clínicos. Mas, agora, o edil defende a prefeitura e explica que o motivo é embasado na falta de recursos para garantir o pagamento do leitos já que o Governo Federal deixou de repassar em 2021 as verbas referentes ao combate da pandemia do novo coronavírus. Questionado se sua atitude não foi contraditória, Estrela explicou que não.

“Não, o vereador faz as cobranças. Eu como legislador, como vereador, eu tenho por obrigação cobrar o executivo, a origem e o destino dos recursos que vem da União. Eu cobrei, obtive a resposta e vi que, o dinheiro do Covid, que a União repassava para o município, que eles pagavam 10 leitos de UTI e 40 leitos clínicos, só estão repassando agora, os 10 leitos de UTI”, disse o vereador.

Os leitos clínicos e leitos de Unidade de Terapia Intensiva do Sistema Único de Saúde (SUS), destinados para o tratamento exclusivo de pessoas com Covid-19, atendem pacientes das cidades da região sudoeste a até de outros estados do país. Segundo Chico Estrela, as cidades vizinhas foram informadas sobre a situação pela Secretária Municipal de Saúde, Ramona Cerqueira, que também propôs uma compactação com os municípios  para arcar com pagamentos dos leitos. Mas, não teve êxito nas negociações.

“Estes leitos serviam para toda essa microrregião e a nossa secretária de saúde fez uma solicitação a todos esses municípios dessa região para que pudessem compactuar com o município para dividir essa despesa  já que Vitória da Conquista não estava recebendo os recursos. Nenhuma das cidades topou, nenhuma”, contou Estrela.

Ao defender a prefeitura, o edil também utilizou o mesmo discurso proferido na gestão municipal de Herzem Gusmão, quando a pandemia começou em 2020, e que teve continuidade no mandato de Sheila Lemos, de que a taxa de ocupação, tanto dos leitos clínicos quanto  de UTI, é de grande maioria de cidadãos de outros municípios e não de Vitória da Conquista.

“Então, o que é que fez a nossa secretaria que tem verdadeiramente responsabilidade com os recursos públicos, diminuiu a quantidade de leitos. Até mesmo porque, ela fez uma média dos três últimos meses, e durante esses três últimos meses, a população de Vitória da Conquista, que usava aqueles leitos clínicos, aqueles 40 que a União pagava, a população de Vitória da Conquista usava, nessa última média, apenas nove. Então não haveria necessidade da Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista estar pagando ao Hospital São Vicente por 40 leitos”, disse o vereador.

Atualmente, a taxa de ocupação dos leitos de clínicos de Vitória da Conquista é de 47,4%, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura na sexta (11). Ou seja, dos 68 leitos clínicos, 37 estão ocupados. Sendo que, 24,4% são ocupados por pacientes de outros municípios, e 23% são pacientes que moram em Vitória da Conquista. Por tanto,19 pacientes de outras cidades ocupam os leitos clínicos e os outros 18 são ocupados por conquistenses. Caso realmente os leitos sejam desativados, a taxa de ocupação dos leitos clínicos pode registrar 100%. de ocupação.

Questionado sobre uma possível super lotação dos leitos clínicos e se essa situação não preocupa, principalmente com a proximidade das festas juninas, já que existe a possibilidade de muita gente se aglomerar em sítios, roças ou cidades vizinhas, e assim ocasionar um pico de novos casos da doença, o vereador respondeu que sim, mas que não há recursos para o pagamento.

“É lógico que preocupa. A gente tem que entender que preocupa. Agora você não pode pagar sem ter dinheiro. A prefeitura parou de receber da União. A prefeitura hoje não possui recursos para manter 40 leitos clínicos ativos. A Prefeitura de Vitória da Conquista, com a responsabilidade da secretaria Ramona, fez essa média de três meses até hoje e viu que os leitos ocupados, apenas nove pacientes estão nestes 40 leitos que a Prefeitura de Vitória da Conquista estava pagando desde abril de 2020, desde abril do ano passado. Então, é lógico que a gente tem que entender o posicionamento da Prefeitura. A Prefeitura existe esse problema de recurso, a Prefeitura vive de recursos. A União não passa mais esses recursos para bancar esses leitos, a Prefeitura não tem condições de pagar”, comentou Estrela.

 


Curta e Compartilhe.

Deixe um Cometário


Leia Também