Conquista: Obra da Estação de Transbordo deixa restaurantes, lojas e residências no Centro sem água há dez dias

A obra da a Estação de Transbordo Herzem Gusmão, no Centro de Vitória da Conquista ainda segue sendo realizada. De acordo com o Governo Municipal, foram investidos mais de R$ 6,6 milhões, oriundos do Financiamento à Infraestrutura e Saneamento (Finisa II), da Caixa Econômica Federal.

A obra começou a ser realizada no dia 29 de abril do ano passado e durante a campanha nas eleições  municipais de 2020, o prefeito Herzem Gusmão chegou a prometer que seria entregue em dezembro do ano passado.  No entanto a promessa não foi cumprida e, segundo a prefeitura,  já foram feitos 90% da obra e a nova previsão é entregar no mês de maio.

Enquanto isso, a obra segue sendo executada e está deixando as lojas do comércio, restaurantes e residências sem água no Centro da cidade. Em contato com o Blog do Sena nesta segunda-feira (05), um leitor informou que a localidade está sem água há mais de 10 dias. Falta água nas torneiras para lavar as mãos, em plena pandemia do novo coronavírus, e até para beber.

“Por causa de uma obra na Avenida Lauro de Freitas estamos há 10 dias sem água. Água para nada, não sai nada. Está difícil a situação viu? Não tem água nem para beber”, diz o leitor em um vídeo.

O Blog do Sena entrou em contato com a Embasa e a Prefeitura de Vitória da Conquista para saber de quem é a responsabilidade e quando o problema será solucionado. Por meio de nota, a Embasa explicou que a situação é devido a retirada do asfalto da Avenida Lauro de Freitas realizada pela prefeitura que quebrou vários trechos da rede distribuidora. E para resolver, é necessário que a mesma realize os devidos aterros.

“A Embasa informa que, em função da implantação do novo terminal da Avenida Lauro de Freitas, a Prefeitura de Vitória da Conquista iniciou a retirada da pavimentação da avenida, provocando quebramentos em diversos trechos da rede distribuidora de água. Equipes da Embasa já efetuaram os reparos nos pontos onde foi possível, mas, em outros trechos, onde as tubulações de água ficaram desancoradas, é necessáro que a prefeitura realize os devidos aterros, para que a Embasa possa realizar os serviços de forma segura, sem risco de grande perda de água ou de danificar a obra do novo terminal’, diz a nota.

O Blog do Sena também entrou em contato com a prefeitura, por meio da Secretaria de Comunicação (Secom), mas até o fechamento desta matéria não obteve resposta.

Veja o vídeo:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.