Zé Raimundo defende a permanência da Cooperativa de Crédito no campus da UESB

Foto anterior à pandemia

Depois de falar pessoalmente com o secretário estadual da Fazenda, Manoel Vitório, o deputado estadual Zé Raimundo (PT) solicitou também, oficialmente, a manutenção do funcionamento do Posto de Atendimento Bancário – PAB da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores da UESB – CREDIUESB/SICOOB/CREDICOOP nas dependências da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB, campus de Vitória da Conquista.

O pedido do deputado foi oficializado na sexta-feira, 18 (Ofício n°. 016/2021).
Com essa iniciativa, ele busca impedir a retirada do Posto de Atendimento Bancário, situado no 1º (primeiro) andar do módulo acadêmico do campus universitário da UESB, em Vitória da Conquista.

A determinação de fechar a unidade bancária decorre de notificação da Pró-reitoria de Administração da UESB, em obediência às orientações da SEFAZ do governo do Estado, a pedido do Banco do Brasil. No documento da UESB, encaminhado, no dia 04/03/2020, ao SICOOB – Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil, é dado o prazo de 60 dias para que a cooperativa cesse as suas atividades na UESB.

O deputado Zé Raimundo é professor fundador da UESB e também um dos primeiros sócios da CREDIUESB, constituída em 20 de julho de 1998, na gestão do então reitor Waldenor Pereira (atual deputado federal). “Em verdade, a CREDIUESB é fruto da iniciativa de pessoas que tinham um espírito coletivo e acreditavam na força da cooperação e solidariedade e buscaram construir um organismo visando não apenas a oferta de produtos e serviços, mas também a prática de uma cidadania plena e justa”, diz Zé Raimundo.

Ele lembra que a CREDIUESB esteve todo esse tempo ao lado da comunidade acadêmica, em vários momentos de dificuldades individuais e de desafio coletivos, envolvendo as lutas da ADUSB, da AFUS e o apoio às atividades discentes.

Em defesa da permanência da cooperativa, o deputado observa que no contrato entre o Estado e o Banco do Brasil cabe ao primeiro, facultativamente, indicar ao banco áreas para instalação de agências, postos de atendimento bancário e postos de atendimento eletrônico e, uma vez que isso aconteça, aí sim, o BB deterá a exclusividade de instalação no local.

“Nesse caso, há que se observar a natureza e a história da CREDIUESB, uma Cooperativa composta por professores, servidores administrativos e alunos da UESB, cuja existência demanda, evidentemente, que suas atividades sejam exercidas nas dependências da Universidade, em total proximidade de seus cooperados”, replica o parlamentar.

Ele ainda ressaltou que as cooperativas financeiras não objetivam eliminar outros agentes financeiros, mas sim ajudar os seus cooperados a enfrentar as diversidades econômicas de forma conjunta e participativa. “Isso é verdade cristalina , pois a CREDIUESB tem exercido as suas atividades em concomitância com outras instituições bancárias naquela localidade, inclusive do próprio BB que lá está. Portanto, a permanência da CREDIUESB no campus conquistense não impede o funcionamento do BB no mesmo local com uma unidade mais estruturada”, conclui o professor, ex-prefeito e deputado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.