Opinião: Quando não pagar o pedágio a ViaBahia duplica

Viralizou um vídeo do Ministro da Infraestrutura Tarcísio Freitas, fazendo duras críticas à VIABAHIA, onde relata o descaso da concessionária com a BR-116, desde a pavimentação, acostamentos, estruturas, até o não cumprimento de construção de viadutos, pontes e claro a tão esperada duplicação.

Em março completou um ano que através do Deputado Federal Daniel Almeida – PcdoB – (BA) e o Deputado Estadual Fabricio Falcão, tivemos uma audiência com o Ministro. A bancada Federal da Bahia, representada por 23 parlamentares de vários partidos, Prefeitos da Região, Câmara de Vereadores de Conquista diversos setores da iniciativa privada e vários segmentos da sociedade, cobrando uma solução, se fizeram presentes.

Tivemos a oportunidade de naquela época externar nossa preocupação desse processo de caducidade delongar mais uma década, não conseguimos convencer o Ministro que uma TAC poderia ser a solução, o contrato mesmo de um modelo ruim não favorece a VIABAHIA, mas ela se apropria de recursos judiciais para continuar cobrando sem fazer as inversões necessárias.

Hoje creio que um caminho mais justo seria uma ação judicial suspendendo a cobrança do pedágio, pois é uma apropriação indébita de uma receita oriunda de um bem público. Sabemos que a VIABAHIA acredita que o processo de caducidade será um dia decidido em seu desfavor, mas enquanto isso continuará arrecadando até quando o processo de seja julgado.

Uma das alternativas é uma ação judicial suspendendo as cancelas, liberando a cobrança dos pedágios, ai a solução virá mais rápido, enquanto a VIABAHIA continuar recebendo vultuosos valores, sem a obrigação de fazer as obras, é extremamente cômoda para ela, acionista canadense nem se preocupa, tem arrecadação liquida. É hora do MOVIMENTO DUPLICA SUDOESTE mover essa ação.

José Maria Caires

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.