Conquista: Três ônibus da empresa Viação Rosa quebram só nesta quarta-feira (02)

A situação do transporte público foi um dos principais assuntos durante as campanhas eleitorais municipais em Vitória da Conquista. Mesmo não sendo mais o foco, com o fim das eleições, o problema continua atingindo os moradores da cidade que necessitam do serviço diariamente.

Só nesta quarta-feira (2), três veículos da empresa Viação Rosa quebraram em diferentes pontos da cidade. O primeiro foi registrado na Avenida Luís Eduardo Magalhães, na zona leste, no início da tarde. O passageiros ficaram impossibilitados de seguir viagem.

Esse outro ônibus quebrou no Anel Vário. A foto abaixo mostra o ônibus da Viação Rosa no acostamento da pista.

No bairro Nova Cidade, um dos ônibus que faz linha do local também quebrou. Além de apresentar tantos defeitos, a população que precisa do transporte público tem reclamado constantemente  que as empresas não cumprem os horários e estão sempre atrasados.

A empresa Viação Rosa foi contratada em caráter emergencial, sem licitação, pela Prefeitura  de Vitória da Conquista, para operar o lote um e atua na cidade há mais de um ano opera com um custo de 2, 5 milhões de reais por mês.

Além da Viação Rosa, a empresa Viação Atlântico também foi contratada sem licitação para operar na cidade em caráter emergencial o lote dois com o custo de por 14 , 4milhões de reais no prazo de 180 dias, podendo ser prorrogado.

Há quase um mês operando na cidade, os ônibus da empresa apresentam problemas ainda mais graves. Já na primeira semana que iniciou as atividades, os veículos além de quebrarem e interromper a viagem dos passageiros, ainda trouxe perigo, quando as rodas traseiras dos ônibus da empresa soltaram na Avenida Olívia Flores e na Avenida Integração. Também houve um registro de um outro veículo que ficou sem a porta traseira.

A Prefeitura ainda não se manifestou oficialmente sobre a frequência que os ônibus alugados quebram nem a respeito do não cumprimento dos horários. Chegou a circular uma informação durante o segundo turno das eleições, de que o Secretário de Mobilidade Urbana, Micael Batista Silveira, havia dito que existem “indícios de boicote”.

Apesar de muita gente ter reproduzido, a hipótese ainda não foi provada e a população de Vitória da Conquista, que depende dos ônibus coletivos para ir ao trabalho, vem sentindo na pele diariamente as dificuldades e problemas do serviço de transporte público da cidade, mesmo pagando uma passagem de R$3,80 considerada uma das mais cara da Bahia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.