”É inadmissível a humilhação que os servidores públicos foram submetidos na fila do Banco Itaú ” declara SINSERV

Em entrevista ao nosso site, o advogado do Sindicato dos Servidores Públicos (Sinserv), Lucas Nunes, falou sobre a situação dos servidores da Prefeitura de Vitória da Conquista, que ficaram em filas quilométricas no Banco Itaú sem conseguir atendimento. Para o sindicato, o que aconteceu nos últimos dias é inaceitável e descumpre o contrato feito entre prefeitura e banco, que previa a segurança dos servidores durante o atendimento. Em um contexto de pandemia, as filas quilométricas na rua, com chuva, e sem organização expôs os servidores a uma humilhação e a um risco de contaminação por Covid- 19, explica Lucas Nunes.

Houve uma mudança na folha de pagamento dos servidores municipais que passaram a receber os salários pelo Banco Itaú. Desde o início da pandemia o sindicato vem acompanhando essa mudança e solicitou à administração que o pagamento pelo Banco Itaú fosse adiando para que a instituição se preparasse e se organizasse para não submeter as pessoas a uma situação de risco, durante o cadastro e validação dos cartões. No entanto, no final de junho o banco ainda não tinha se preparado e expôs os trabalhadores a essa ”situação inaceitável de humilhação”, declara o sindicato. ”Nós já solicitamos ao município que notifique o banco, porque com certeza essa situação descumpre o contrato, sob pena de rescisão”, afirma a presidente do Sinserv, Lúcia Chagas.

Apesar do uso de aplicativos e do cadastro prévio realizado com recebimento de um cartão, foi necessário que os servidores pegassem a fila novamente para o atendimento na tentativa de validar a senha. Isso segundo Lúcia, ”não faz sentido”, já que dispomos de tecnologias que podem evitar esses contratempos desnecessários. A presidente do sindicato considera que a prefeitura também é responsável pela situação, pois é administração pública que negocia o contrato com o banco.

Nesta segunda-feira (29), o Blog do Sena esteve no local acompanhando a situação das pessoas que estavam na fila do banco. Alguns estavam no local, em pé desde às 9h da manhã e, às 17h, ainda não tinham sido atendidos. Apesar do desgaste, muitos não puderam ser atendidos e suas senhas foram reagendadas para terça-feira (30). O clima no local era de muita revolta e insatisfação com o prefeito Herzem Gusmão e com a instituição financeira. Quase 3 mil clientes passaram pela agência na segunda-feira.

Sabia mais em: Após aglomeração, chuva e fila quilométrica, servidores municipais de Vitória da Conquista não conseguiram atendimento no Banco Itaú

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.