Ex-jogadora morre de dengue hemorrágica em Vitória da Conquista ‘Companheira e irmã’, diz amiga

Reprodução G1

Uma ex-atacante da equipe de futebol feminino de Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, morreu vítima de dengue hemorrágica no último sábado (4).

A ex-atleta Ely Pites disputou o Campeonato Baiano de 2019 pelo Vitória da Conquista. Ela já passou pelo Juventude e também atuava como árbitra assistente em jogos amadores. Ely tinha 42 anos e estava internada no Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC).

“Nós ficamos bastante surpresos com a rapidez pelo fato que ocorreu e estamos muito sentidos, porque a Ely era sempre ali no canto com a gente, alegre, sorridente, na parte da assistência de arbitragem, até mesmo nas quatro linhas, ela tinha assistência como bandeira. A gente via disposta, bastante sorridente, feliz”, contou Leonésio Alves, presidente da Liga Conquistense de Desportos Terrestres (LCDT).

As amigas de quadra perderam uma grande companheira. A jogadora Moniele Caires contou sobre a gratidão de ter tido Ely como amiga.

Foi uma pessoa que contribuiu de forma muito grande na minha vida, na construção como jogadora e como ser humano. A única palavra que fica agora, além de lembrança, é de gratidão pela amiga, companheira e irmã que ela sempre foi”, disse Moniele.

O índice de infestação do mosquito Aedes aegypti na cidade aumentou para 6,6%, enquanto o nível tolerado pelo Ministério da Saúde é de 1%. Segundo dados da prefeitura da cidade, nos primeiros três meses deste ano foram mais de 400 notificações de dengue no município. Eles são do último levantamento divulgado no dia 25 de março deste ano.

Os bairros da cidade com maior índice de infestação são: Urbis IV (20%), Cruzeiro (15,5%), Jardim Guanabara (15,5%) e Loteamento Conquistense (15,3%).

Em 2016, a costureira Faiane Santos viveu um dos piores momentos da vida dela quando o marido teve dengue hemorrágica. Ele passou 15 dias internado correndo risco de morte.

“Nos primeiros dias, ele apresentou os sintomas de infecção urinária, logo depois foi feito os exames e constatou a dengue hemorrágica. No quadro dele, afetou o fígado, como se fosse hepatite, a médica falou”, contou a costureira.

O marido de Faiane, Manassés de Lira, contou em um vídeo como foram os dias com enfrentando a dengue e alertou sobre os cuidados que devem ser tomados com a dengue.

“É uma doença terrível, todo corpo doía. Sei que tem uma importância grande estarmos atentos para essa pandemia do coronavírus, mas não vamos esquecer da dengue. Vamos ficar alerta”, relatou Manassés.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.